Manejo

MANEJO DO FRANGO CAIPIRA

O manejo do frango caipira, vai depender do nível tecnológico e da condição de cada produtor. Algumas condições básicas de criação são essenciais: Tomar cuidado para que na chegada dos pintinhos caipira o galpão esteja limpo, desinfetado, com os círculos de proteção montados, e que os comedouros e bebedouros estejam distribuídos, além das campânulas pré aquecidas, garantindo uma temperatura adequada.

Recomenda-se que toda a água consumida pelas pintinhos, desde o primeiro dia, sejam cloradas ( ideal no bebedouro – 3 a 5 ppm ), o cloro age como desinfetante para destruir ou dificultar o desenvolvimento de microorganismos patogênicos, algas e bactérias, além de funcionar como antioxidante.

A água é de suma importância no manejo das pintinhos caipira representa cerca de 70 a 80% do corpo das aves jovens e 55 a 70% do corpo de uma ave adulta. Em uma dieta de um frango, a água corresponde de duas a três vezes do alimento ingerido.

Nos primeiros trinta dias, as aves podem ser alojadas em pinteiros ou criadas diretamente nos galpões, de acordo com a possibilidade do avicultor.

Todos os dias se deve fazer uma vistoria no pinteiro ou no galpão, observando se existem aves mortas ou mesmo aleijadas que devem ser retiradas e levadas para fossas sépticas; composteira ou incineradas.

A partir do 15° dia, pode-se permitir o acesso dos pintos caipira ao material verde picado, substituindo-se os comedouros infantis pelos que ficarão até o final do lote.

A partir dos 21° dias de idade, os pintos caipira podem ser liberados pela manhã para um passeio no piquete e à tarde devem ser recolhidos para evitar problemas com predadores.

A densidade ideal para frangos caipira no galpão é de 10 aves/m² e nos piquetes é de 01 aves / 3 m².

Para o frango caipira, por ser uma ave destinada ao abate com idade mais avançada, recomenda-se o fornecimento somente de luz natural, evitando-se assim o seu crescimento muito acelerado e o aumento de mortalidade.

No manejo do frango caipira precisa, portanto, de pessoas capazes e responsáveis, que possam atender, da melhor maneira possível, os pintinhos, oferecendo-lhes o máximo conforto para conseguir o melhor resultado possível, capaz de trazer um lucro satisfatório para todos.

MANEJO SANITÁRIO

A higiene dentro e fora do galpão, independentemente do tamanho do aviário é muito importante para evitar a propagação de doenças.

Os principais procedimentos de manejo sanitário para manter as aves sadias são:

  • Após a retirada dos frangos caipira, retirar todo o adubo, lavar o galpão com água e sabão; e pulverizar com amônia quaternária, todo o aviário e todos os equipamentos.
  • Aplicar corretamente as vacinas especificas para sua região ( Consulte o veterinário da NUTRIAVES ) e fazer a vermifugação dos frangos caipiras.
  • Evitar o transito de pessoas e animais ao redor do aviário. Evite visitas as granjas vizinhas e nunca retorne a sua área de produção sem antes passar por um banho e troca de roupas.
  • Na comercialização em feiras livres do frango caipira, que é comum nos estados do Nordeste, devemos tomar muito cuidado. Após a venda nestas feiras, não se deve retornar com sobras de aves para as granjas de criação e devemos lavar as caixas plasticas com água e sabão além de pulverizar-las com desinfetante à base de amônia quaternária.
  • Cães, gatos e outros animais de estimação devem ser mantidos afastados das vizinhanças dos galpões de aves. Animais mantidos soltos frequentemente perambulam mais do que seus donos suspeitam, e podem ser portadores de doenças aviárias.
  • Não guardar restos de adubo do lote anterior próximo ao aviário onde vai receber o novo lote de pintos caipira.
  • No manejo sanitário ter pedilúvios e rodolúvios nas entradas e saída das instalações também é de suma importância.
  • Recolher todas as aves mortas diariamente e coloca-las em fossas, composteiras, incineradores ou valas adequadamente dispostas e fechadas também podem ser usadas. É sempre conveniente o uso de produtos para afastar moscas. Sempre que ocorrer uma doença que curse com alta mortalidade e os métodos para dispor das aves não forem adequados é necessário enterrar as aves profundamente, sem uso de desinfetante, e cobrir com uma boa camada de terra, evitando o acesso de animais carniceiros.
  • Deixar o galpão descansar pelo menos 15 dias entre a saída dos frangos e a chegada de um novo lote de pintos caipira.
  • No manejo sanitário, após o descanso do aviário, a limpeza e desinfecção é muito importante. Devemos ficar atentos que nenhum desinfetante poderá exercer sua ação com eficiência se não houver uma limpeza anterior. A limpeza vem em primeiro lugar. Grandes quantidades de matéria orgânica podem reduzir a eficiência ou inativar completamente alguns dos desinfetantes comumente utilizados.

MANEJO DAS CORTINAS

O manejo das cortinas são tão importantes quanto os outros equipamentos do aviário, tendo a função de proporcionar um ambiente confortável para os frangos caipira, protegendo das variações climáticas.

O emprego das cortinas é praticamente padronizado, com movimento de subida, mecânico e o de descida, por gravidade. O manejo das cortinas é inteiramente por conta do tratador. Ainda não estão disponíveis os sistemas motorizados e automatizados com preços acessível ao mercado de aves.

O manejo das cortinas é muito importante, para controlar a umidade e a temperatura no galpão. As cortinas devem ficar sempre presas na parte de baixo do aviário, sendo o manejo correto levantar de baixo para cima.

Nos primeiros 7 a 10 dias das aves recomenda-se que as cortinas fiquem levantadas, quando as aves estiverem empenadas deve-se manter as cortinas abaixadas, levantando somente nos horários frios, durante chuvas ou ventos fortes.

Se o galpão dos frangos caipira estiver abafado ou com cheiro forte de amônia, deve-se quando possivel, abaixa-las, de preferencia do lado contrario à corrente de vento, melhorando a ambiencia do aviário.